quarta-feira, 1 de julho de 2009

O Genoma da pré-história.

Projeto vai decifrar DNA do neandertal, o parente extinto da Humanidade.
O DNA de um parente extinto da Humanidade promete levar a ciência a uma viagem sem precedentes pela pré-história. Cientistas anunciaram ontem o começo do Projeto Genoma do Homem de Neandertal. Pela primeira vez será possível saber como realmente era esse integrante do gênero humano. Se tiverem êxito, geneticistas poderão descobrir se o neandertal nos legou algo mais do que seus ossos e ferramentas e se temos em nosso genoma traços herdados da espécie extinta, a mais próxima do homem moderno. O projeto é uma grande ousadia tecnológica. O neandertal desapareceu da Terra há cerca de 30 mil anos e seu DNA é quase impossível de extrair. As poucas amostras obtidas estão fragmentadas. Para reconstruir seu genoma, será necessário associar imenso poder computacional a técnicas refinadas de interpretação de dados.
Ontem, foi dado o primeiro passo do projeto. Especialistas que obtiveram as únicas amostras de DNA de neandertais a partir de um osso firmaram um contrato com uma empresa de biotecnologia para tentar completar todo o código genético dos neandertais. O Instituto Max Planck de Antropologia Evolucionária, em Leipzig, na Alemanha, e a Corporação 454 de Ciências da Vida, em Branford, Estados Unidos, anunciaram que pretendem usar novas tecnologias para ampliar as pequenas amostras de DNA disponíveis.
- Novas tecnologias nos levarão a uma viagem que parecia impossível - afirmou Svante Paabo, chefe do estudo.
Ele foi o primeiro a conseguir obter DNA de um neandertal, em 1997, a partir de um osso de perna. Os neandertais surgiram há aproximadamente 300 mil anos e povoaram partes da Europa e do Oriente Médio. Conviveram por milênios com o homem moderno e sua extinção é um mistério.