domingo, 21 de junho de 2009

Identificados dois novos dinossauros no Níger.

Um estudante da Universidade de Bristol, no oeste da Inglaterra, identificou junto com seu antigo professor dois novos dinossauros carnívoros a partir de fósseis encontrados em escavações no deserto do Saara no ano 2000.
Os répteis, que habitaram as florestas africanas há 110 milhões de anos, foram descobertos no Níger.
As duas espécies eram capazes de correr velozmente, graças às poderosas patas traseiras e à ajuda de uma longa cauda, e competiam por presas com uma terceira criatura, descoberta antes e que caçava dentro e fora da água.
O Eocarcharia dinops (tubarão de olhos ferozes), com cerca de 12 metros de comprimento, seria o principal predador, com suas garras e mandíbula poderosas, que podiam arrancar extremidades e pedaços de carne das presas caçadas.
Sua cabeça era reforçada por uma sólida camada óssea que, além de conferir um aspecto ameaçador ao réptil, podia ser usada como um aríete.
Já o Kryptops palaios (velha face oculta) media aproximadamente 7,5 metros e se alimentaria dos restos de comida de outros carnívoros, como faz a hiena.
Possuía braços curtos e seu focinho reforçado parece desenhado para escavar carcaças, e não para matar presas vivas.
O grupo ao qual pertenceriam os Eocarcharia dinops deram lugar aos maiores predadores dos continentes meridionais, tão grandes ou até maiores que os Tiranossauro Rex.
"São os antepassados mais antigos de dois grupos de grandes carnívoros que continuariam dominando a África, a América do Sul e a Índia durante os 50 milhões de anos seguintes", disse em comunicado Steve Brusatte, que faz Mestrado sobre Ciências da Terra em Bristol.
"Eles nos mostram que, em um estado inicial e, provavelmente durante 20 ou 30 milhões de anos, os carnívoros se dividiam de forma que não vemos no continente do norte", explicou Sereno.